mamaplastia de aumento

Prof. Doutor José Rosa - Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética

Dr. José A. Rosa - Implantologia Dentária

cirurgia Estetica
Quem Somos

______________________

Mapa Site

_______________________

Noticias/Videos

_______________________

Contactos

Mamaplastia de Aumento

A informação que se apresenta é considerada indispensável para decisão de introdução de implantes na mama e não dispensa os esclarecimentos que se podem obter em consultas médicas ou através de leitura e interpretação de documentos científicos. A colocação de próteses mamarias é uma decisão que deve ser bem ponderada já que o uso de implantes constitui um compromisso a longo prazo não destituído de risco.

INCISÂO ( cicatriz) por debaixo da mama , na axila, ou na areola; outras cicatrizes de abordagem se for necessário retirar pele ou na presença de outros factores condicionantes. A via axilar pode comprometer o estadiamento de neoplasia quando se pretende determinar o gânglio sentinela na axila.

PRÓTESE: Silicone gel coesivo ou outra se estiver indicada; tamanho, forma e dimensões a definir.

CONTROLO CLÍNICO E IMAGIOLÓGICO: será feito como noutras pacientes do mesmo grupo etário em função dos factores de risco conhecidos, o estudo imagiológico que estiver mais indicado.

AMAMENTAÇÃO: é possível amamentar depois de colocação de prótese. Não se conhece qualquer risco para a criança. As variações de volume mamário ocorrem sempre durante a gestação ou durante o período de amamentação e têm repercussões variáveis na forma da mama. Se ocorrer mastite ou outra infecção nesse período trata-se como noutras situações.

VIAGENS : não é conhecido risco relacionado com viagens. Algumas actividades desportivas poderão merecer apreciação especial. Genericamente não há restrições absolutas.

SENSIBILIDADE : pode ficar alterada , mas tende para normal na maioria dos casos passados alguns meses. Essa dificuldade pode ser definitiva. A exposição prolongada ao sol é desaconselhada, pelo prejuízo que pode provocar na pele. O mesmo se passa com o bronzeamento.

DESLOCAÇÃO DA PRÓTESE: fenómeno actualmente muito raro mas que pode ocorrer.

RUPTURA: as próteses aprovadas têm boa resistência, mas pode acontecer ruptura ou deformação da prótese seja em situações de trauma violento ou acidente ou mesmo na ausência de qualquer destes fenómenos, seja por desgaste do material ou em circunstancias desconhecidas. A sua detecção pode ser clínica ou com métodos imagiológicos O tempo de vida média das próteses não é ainda bem conhecido. A ruptura pode não ocasionar problemas médicos relevantes.

SUBSTITUIÇÃO DAS PRÓTESES: alguns laboratórios recomendam a sua substituição ao fim de alguns anos. Serão substituídas se houver razões validas para tal. Se estiverem bem do ponto de vista clínico e imagiológico as próteses podem permanecer por vezes décadas sem substituição.

PRÉ E POS OPERATÓRIO. Avaliação do estado geral, medicação, fármacos, drogas, álcool, tabaco. A estratégia é personalizada. No pós operatório deve evitar esforços na primeira semana; a actividade física será moderada no primeiro mês. Usará soutien de contenção adequado. Não pode usar soutien com armação nos primeiros três meses.

CONTRATURA CAPSULAR: Quando o organismo identifica o implante como um corpo estranho, surge tecido fibroso à sua volta. Este tecido contrai-se e dá uma sensação de dureza desconfortável com modificação da forma por vezes com pregas na prótese. Essa situação pode levar à necessidade de intervenção, para substituição. Pode mesmo ser conveniente retirá-las, sem nova substituição em função de cápsula ,contaminação, infecção, ou com base na experiência e na lógica clínica.

AS COMPLICAÇÕES podem levar à necessidade de retirar as próteses, criando-se uma situação de frustração para a doente e para o cirurgião que será gerida em função da situação concreta. As complicações gerais são semelhantes às de outras cirurgias. Não se conhece relação entre cancro da mama e prótese. Estão descritos casos de prótese e tumor maligno. Está investigação em curso para melhor esclarecimento da situação. O consumo de tabaco favorece o aparecimento de algumas complicações.

EXTRUSÃO e necrose de tecidos: Nalguns casos os tecidos que cobrem o implante podem ficar comprometidos na sua circulação, e a prótese fica exposta. Existem factores predisponentes para esta complicação que devem ser avaliados na tomada de decisão. Nestes casos é sempre necessária outra cirurgia e o resultado estético pode ser medíocre.

CUSTOS: Geralmente pode fazer-se uma estimativa de custos de modo muito realista. Na presença de complicações pode haver implicações financeiras significativas.

Esta informação tem que ser articulada com a avaliação clínica da paciente e baseia-se nos dados práticos e científicos actuais que podem beneficiar de evolução ao longo dos anos. Recomendo ainda que, na medida do possível, a paciente contacte com outra paciente que já tenha feito a mesma cirurgia. Exponha a situação ao seu médico de família e obtenha também opinião de outro especialista antes de uma decisão. Opiniões diferentes nem sempre são contraditórias podem mesmo estimular a reflexão.